Meio milhão de pessoas mobilizadas contra regalias de políticos

  Emilaine criou um  abaixo-assinado    pedindo redução nos salários dos deputados federais

Emilaine criou um abaixo-assinado pedindo redução nos salários dos deputados federais

Temos visto muitos abaixo-assinados criados por usuários da Change.org nas últimas semanas para pedir a redução de salários e o fim de benefícios ou "regalias" (como auxílio-moradia) para vereadores, deputados, prefeitos, juízes, governadores, promotores e demais funcionários públicos. Mas por que o assunto é importante? Porque são maneiras concretas de lutar por justiça e contra a corrupção.

Um dos argumentos usados pelos criadores de petições é o desperdício de verba pública em tempos de crise econômica, para pagar altos salários a quem deveria representar a sociedade. Dar um grande salário a um deputado não faz sentido se o Brasil enfrenta inflação e desemprego, de acordo com esses peticionários.

Em uma busca na plataforma Change.org, identificamos 17 abaixo-assinados deste tema (você pode fazer qualquer busca clicando aqui). Juntos, eles somam cerca de 500 mil assinaturas. É possível que existam ainda mais. Alguns foram vitoriosos, como a petição da Alessandra Ramos, de 2015, que pede a deputados de São Paulo para não comprarem carros de luxo.

Veja abaixo os abaixo-assinados de usuários da Change.org. Assine os que interessarem e faça você também sua mobilização:



Abaixo-assinados com pedidos concretos direcionados a políticos

 Carro de luxo do modelo azera que o stf quer comprar para juízes

Carro de luxo do modelo azera que o stf quer comprar para juízes

Deputados de São Paulo: licitação de R$ 4,8 milhões para compra de carros de luxo? NÃO!
(Abaixo-assinado criado por Alessandra Ramos - clique para abri-lo)

Reduza o salário dos deputados federais!
(Abaixo-assinado criado por Emilaine Florencio - clique para abri-lo)

Não aprovem o aumento do salário dos ministros do STF para R$ 39,2 mil
(Abaixo-assinado criado por José Maria C. da Silva - clique para abri-lo)

Impeça que o Congresso Nacional e o Itamaraty gastem R$ 684 mil com salas VIP
(Abaixo-assinado criado por Gabriel Dotta - clique para abri-lo)

Não ao aumento dos salários de vereadores e do prefeito de Florianópolis
(Abaixo-assinado criado por Augusto Teodoro - clique para abri-lo)

São Bernardo do Campo: barrem o aumento de salário do prefeito, do vice e dos secretários
(Abaixo-assinado criado por Rubens Pacheco - clique para abri-lo)

Fim do "auxílio-moradia" para juízes federais e estaduais, promotores e procuradores
(Abaixo-assinado criado por José Pantoja Neto - clique para abri-lo)

STF: Gastar R$ 620 mil de verba pública comprando carros de luxo? NÃO!
(Abaixo-assinado criado por Alessandra Ramos - clique para abri-lo)

Contra o auxílio-moradia retroativo dos conselheiros do TCE de Tocantins
(Abaixo-assinado de Rafaela Lobato - clique para abri-lo)

Contra as novas sedes da Prefeitura de Osasco e da Câmara Municipal
(Abaixo-assinado de André Prestes - clique para abri-lo)

Redução do salário dos vereadores de Tubarão (Santa Catarina)
(Abaixo-assinado por Fabiano Marques - clique para abri-lo)

Pela redução do salário dos vereadores de Ribeirão Preto
(Abaixo-assinado de Movimentos Sociais RP - clique para abri-lo)

Não aumente os salários dos deputados e senadores!
(Abaixo-assinado do Leonardo Domingues - clique para abri-lo)

Fim das regalias de vereadores e prefeito de Novo Hamburgo!
(Abaixo-assinado do John Souza - clique para abri-lo)

Cancelem já os contratos de fornecimento de chazinho, suco e bolacha recheada da Câmara
(Abaixo-assinado de Chega de Luxo - clique para abri-lo)

Fim das regalias e altos salários dos políticos
(Abaixo-assinado de José Sérgio Junior - clique para abri-lo)

Fim do pagamento de auxílio moradia para juízes, procuradores e promotores
(Abaixo-assinado de Roberval D'Avila - clique para abri-lo)


Outro argumento dado por peticionários: o salário mínimo é muito mais baixo do que a remuneração de parlamentares, prefeitos etc. Uma pesquisa do Ministério da Fazenda diz que acabar com os “supersalários” de funcionários públicos economizaria R$ 10 bilhões do governo. O valor é igual à renda que seria gerada com a recriação da CPMF, e o melhor: sem aprovar um novo imposto.

O cálculo do Ministério da Fazenda inclui só os “supersalários”, ou seja, salários acima do teto definido pela Constituição. O teto é de R$ 33,7 mil - igual à remuneração do presidente do STF. O cálculo não inclui salários mais baixos, como os dos vereadores de São Paulo, que recebem R$ 12 mil em média (sem contar benefícios).

Cabe ressaltar, no entanto, que de uma forma geral os abaixo-assinados não pedem que políticos eleitos e funcionários públicos fiquem sem salário: a maioria das petições online indica que as pessoas querem que eles tenham rendimentos equivalentes a outros profissionais que compõem a sociedade, como os professores, jornalistas etc.

Cadê as respostas? Com a palavra, o funcionalismo público e os políticos eleitos em nível municipal, estadual e federal. 


Na Change.org, você pode mudar o que quiser. Faça um abaixo-assinado. Você já viu que funciona. Dica: veja como fazer um abaixo-assinado de sucesso e entre no nosso fórum. Outros usuários vão te responder e, quem sabe, te ajudar na mobilização.