O pai e o filho que mudaram a história da família

 À esquerda, diego belmonte com sua mãe, clésnia, depois de confirmarem a cirurgia; à direita, thiago Sagat acompanhado de seu filho pietro

À esquerda, diego belmonte com sua mãe, clésnia, depois de confirmarem a cirurgia; à direita, thiago Sagat acompanhado de seu filho pietro

Duas histórias comoventes tornaram-se vitórias na Change.org nesta semana. Elas aconteceram em Estados diferentes, com algo muito importante em comum: são famílias em busca de acesso a direitos básicos em Saúde e Educação.

Thiago Sagat, em Sorocaba (SP) e Diego Belmonte, em Novo Hamburgo (RS) conseguiram estes direitos criando abaixo-assinados que chamaram a atenção da imprensa e de milhares de pessoas.


O pai

Thiago Sagat é o pai de uma destas famílias. Professor no interior de São Paulo, ele criou um abaixo-assinado no fim de 2015 pedindo uma coisa simples: que o convênio da Unimed liberasse um laudo para que seu filho Pietro, de 6 anos, pudesse ir à escola.

Pietro sofre de uma síndrome que afeta os músculos, mas que não o impede de estudar. Tanto é que a Unimed inicialmente liberou as enfermeiras para acompanharem o garoto no colégio. Mas o setor jurídico do convênio mudou de ideia, o que motivou o pai a pressionar pela mudança.

Após obter mais de 56 mil assinaturas e atrair a atenção da mídia (como esta reportagem do G1), Thiago conseguiu uma decisão judicial para que o filho possa ir ao colégio. Na segunda-feira, dia 7 de março, Pietro foi pela primeira vez à aula.

Pietro está super disposto e feliz com a ideia de ir para a escola, nem tira o uniforme
— Thiago Sagat, professor

"A gente acorda às 6h e o Pietro está super disposto, feliz, falando que vai para a escola", diz Thiago, sem conter a alegria. "Depois da aula, quando chega em casa, ele quer continuar com o uniforme".

No começo, Pietro irá às aulas apenas 2 horas por dia, como adaptação. "Em breve ele ficará todo o horário na escola, com as enfermeiras", diz o pai. Ele iniciou a petição por indicação de um cunhado que acessa a Change.org. “Anexamos o meu abaixo-assinado à ação na Justiça e isso fez total diferença, sensibilizou o juiz", afirma.

Thiago se surpreendeu com as 56 mil assinaturas. "Imaginei que ficaria só em 500", diz. Para ele, criar um abaixo-assinado online funciona. Além dos comentários positivos dos apoiadores, centenas de pessoas pediram no Facebook que a Unimed liberasse o laudo.


O filho

Foi a doença da mãe, Clésnia, que motivou Diego Belmonte a criar um abaixo-assinado na Change.org. Ela sofre com dores e sangramentos diários, e precisa de uma cirurgia de retirada do útero para viver melhor.

Diego conta que a mãe espera há 3 anos na fila para fazer a operação. Para resolver o problema, ele espalhou seu abaixo-assinado no Facebook pedindo ajuda para a Prefeitura de Novo Hamburgo.

A petição cresceu e atingiu quase 60 mil assinaturas, chamando a atenção da mídia. A partir daí, a Prefeitura de Novo Hamburgo se mexeu e marcou a cirurgia da mãe de Diego. Ele só acreditou quando pegou o papel que confirmava a cirurgia em mãos.

"Conseguimos marcar a cirurgia da minha mãe para a cidade de Parobé", afirma Diego, que gravou um vídeo de agradecimento a todas as pessoas que o apoiaram. "Vi nos olhos do assessor da Prefeitura e ouvi da boca dele que [deu certo] por causa da repercussão", comentou, emocionado.


Na Change.org, você pode mudar o que quiser. Faça um abaixo-assinado. Você já viu que funciona. :)

Dica: veja como fazer um abaixo-assinado de sucesso e entre no nosso fórum. Outros usuários vão te responder e, quem sabe, te ajudar na mobilização.