Destinatários de abaixo-assinados geralmente são muito sensíveis a exposição pública. Por isso, use a imprensa para conseguir mais apoios e pressionar quem decide.


 

Passo 1: Construa uma narrativa

Antes de divulgar e falar de sua campanha na mídia, é importante preparar as informações que você vai oferecer aos jornalistas. Construa uma narrativa e apresente sua história de forma atrativa e apelativa. Assim você economizará tempo e recursos dos jornalistas.

  • Explique por que a história é importante

    Quanto mais pessoas forem afetadas pela sua petição, mais interessante será a narrativa. Explique quantas pessoas são afetadas pelos problemas que a campanha está tentando resolver.

  • O lugar também é importante

    Sempre explique para os jornalistas o porquê sua campanha é importante para um determinado lugar, população, comunidade. Tente mapear e acionar jornalistas que cubram o local onde você quer incidir.
     
  • Prepare uma boa narrativa

    A mídia está sempre buscando boas histórias. Quando você contatar a mídia é importante que exponha as histórias pessoais que estão por trás da campanha. Histórias sobre amor, família, luta épica ou perda atraem a atenção dos jornalistas. Outros elementos que você pode mencionar são os famosos ou personalidades que aderiram e assinaram a sua campanha.
     
  • Prepare fotos, vídeos e eventos

    Jornalistas geralmente precisam de elementos audiovisuais para acompanhar suas notícias. Antes de entrar em contato, reúna tudo o que puder: fotografias, vídeos, documentos. Não esqueça de mencionar qualquer evento que possa servir para capturar imagens: coletiva de imprensa, um encontro de vizinhos, um debate, uma entrega de assinaturas.
     
  • Tenha sempre “provas” em mãos

    Os jornalistas devem checar as informações para comprovar sua veracidade, além de sempre contrastar as opiniões e posições, retratando os dois lados. Reúna todas a “provas” que tiver: documentos, e-mails, cartas, informes, vídeos, contatos, depoimentos de pessoas que apoiam a campanha e testemunhos de pessoas que estejam passando por situação similar ao que a sua petição propõe.
  • O que importa é ser atual

    Para a mídia, a atualidade e novidade da informação é tudo. Por isso, você precisa mostrar que sua petição é importante agora. Para isso, vincule sua campanha a algum tema atual ou alguma data chave (por exemplo: dias internacionais, reuniões de conselhos municipais, eleições etc.). Você pode também criar um fato, dizendo, por exemplo: “Esta petição já ultrapassou as 250 assinaturas em apenas 24 horas” .

 

Voltar ao topo


Passo 2: Cutuque jornalistas

Antes de publicar uma notícia sobre a sua campanha, é provável que o jornalista queira entrevistar você. Jornalistas amam falar com cidadãos comuns, que querem mudar o mundo e compartilhar sua história. Já que é assim, #FicaDica:

  • Identifique o jornalista adequado

    O primeiro passo é mapear quais jornalistas são os mais indicados (e interessados) para cobrir a sua história. Para isso, busque na internet e meios de comunicação quem são, quais os nomes e contatos dos jornalistas que te interessam.

    Normalmente, os jornalistas estão divididos por local e editoria (tema). Por exemplo, se você iniciou uma petição relacionada com a cidade, os jornalistas da seção local (cidades) estarão mais propensos a se interessar pela pauta. Ou se você criou uma campanha relacionada à saúde em escala nacional, você terá que identificar quais jornalistas escrevem sobre temas de Saúde nos grandes meios de comunicação nacionais.
     
  • Envie a informação por e-mail

    Recomendamos que o primeiro contato com o jornalista seja feito por e-mail. Você poderá encontrar os contatos no site do veículo de comunicação ou ligar para a redação e perguntar.

Exemplo de email:

Assunto: O caso do meu filho Pedrinho

Olá, tudo bem?

Meu nome é Fulana, eu sou mãe do Pedrinho, um garoto com autismo, e faz 3 anos que o acompanho pessoalmente todos os dias na escola. A razão disso é que as escolas estaduais do meu estado não oferecem esse serviço - obrigatório, segundo o Estatuto do Deficiente.

Há alguns dias eu fiz um abaixo-assinado na Change.org pedindo um cuidador para o Pedrinho diretamente à secretária de Educação e à diretora da escola. Por enquanto tenho 172 assinaturas. Aqui está o link da petição: [link]

Sei que este é um problema que não afeta apenas a mim, e sim às milhares de mães com filhos da rede pública. Por isso escrevo, sugerindo que faça uma reportagem e me ajude nessa questão. Se estiver interessado, por favor me contate por email ou telefone: (21) 1234-5678.

Muito obrigada!

  • Faça follow-up

    Se o jornalista não te responder em 24-48h, tente entrar em contato através de outros canais: telefone, twitter, facebook. Geralmente o telefone da redação se encontra na seção “Contato” do site do veículo. Além disso, você pode contratar um mailing especializado com e-mails e telefones dos principais veículos de cada região do país.
     
  • Seja persistente, mas não seja chato

    Jornalistas recebem milhares de e-mails, releases e tuítes por dia. É bem comum que não respondam de primeira. Se isso ocorrer, não hesite em tentar de novo, mas tome cuidado para não fazer o chato. Se isso acontecer, eles vão fugir de você, que nem diabo foge da cruz.

    Também é importante que você escute o que te disserem para que você possa melhora a sua narrativa.
     
  • Monitore a mídia

    Mantenha um clipping atualizado sobre o tema da sua petição. Configure um alerta do Google, para que ele te avise sempre que as palavras chaves relacionadas a sua campanha forem mencionadas na mídia.

Voltar ao topo


Passo 3: Dicas para dar uma boa entrevista

  • Prepare três mensagens-chaves

    Decida quais são os três pontos mais importantes da petição: aqueles que você quer que apareça na notícia a todo o custo. Se você tiver claro quais são as três mensagens principais, será mais fácil responder a qualquer pergunta dos jornalistas.

Exemplo:

Ponto 1: As companhias aéreas brasileiras não oferecem acompanhantes em voos para idosos com deficiências senis, como a síndrome de Alzheimer. O serviço é oferecido apenas para crianças desacompanhadas.

Ponto 2: Isso é um grande problema da minha vida, já que minha mãe mora em outra cidade e não é capaz de embarcar e desembarcar de um voo sozinha. Não apenas eu, mas milhares de pessoas também sofrem pela mesma razão.

Ponto 3: Fiz um abaixo-assinado pedindo para Gol, TAM e Azul implementarem este serviço o mais rápido possível. Empresas internacionais já fazem isso. Todo mundo pode assinar e enviar para os amigos que têm alguém com Alzheimer na família.

  • Mencione seu abaixo-assinado na Change.org

    Não se esqueça de mencionar o abaixo-assinado feito na plataforma (dê o link!), assim como o número de assinaturas até o momento. Isso te ajudará a ganhar credibilidade e visibilidade, já que o jornalista poderá linkar a petição na notícia.
     
  • Fale com naturalidade

    Não tente usar um vocabulário técnico ou rebuscado. Seja você mesmo e transmita paixão pela mudança que a campanha quer implementar.
  • Peça para o jornalista incluir o seu abaixo-assinado na matéria

    É importante que o link do abaixo-assinado esteja no texto do jornalista - ou na tela da TV ou na fala do locutor de rádio. Isso ajuda a divulgar a sua campanha e também funciona como um serviço para o leitor do veículo, que pode querer assinar e precisa ter o caminho para a petição. Assim, sempre vale a pena lembrar - e pedir mesmo - ao repórter.

Voltar ao topo


Passo 4: Depois da entrevista

Quando der uma entrevista e aparecer na mídia, tente fazer com que o máximo de pessoas saibam.

  • Envie as notícias para o destinatário da petição

    Para garantir que o destinatário veja as inserções da petição na mídia, não hesite em lhe enviar os links ou prints das notícias por e-mail. Pode ser uma ótima oportunidade de conseguir uma reunião ou obter alguma resposta.
     
  • Mantenha a petição atualizada

    Sempre que alguma notícia sobre a petição sair na mídia, informe os apoiadores, utilizando a área de atualizações da campanha. Você também pode compartilhar os links para as notícias nas redes sociais.
     
  • Mantenha o jornalista atualizado (e mobilizado!)

    Envie um e-mail para o jornalista sempre que houver alguma novidade sobre o andamento da campanha. Lembre-se: não seja chato, escreva somente quando tiver alguma novidade relevante (tem que ser importante!), senão ele fugirá de você.

Voltar ao topo

Summary Block
This is example content. Double-click here and select a page to feature its content. Learn more.